sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Entrevista de Marcelo Cirino ao Portal Stilo Gangster.


1 - Há quanto tempo trabalha como coreógrafo?
Há 20 anos.
2 - Por que a escolha pela dança de rua?
Porque me identifiquei com a arte das ruas, principalmente com os Rap da época e as músicas de “Áfrika Bambaataa”, “Kurtis Brown”, “Sugar Hill Gang”, “Grand Master Flash”, “James Brown”, entre outros.
3 - Quais são suas influências na criação das coreografias?
“Michael Jackson”, Popping (que na época falávamos Break), Jazz, e tudo que tem movimento.
4 - Já trabalhou com outros ritmos? Se sim, quais foram?
Sim. Jazz Dance (depois de aprender Break para conhecer outras tendências).
Fiz 04 anos de clássico, pelo qual fui informado que seria a base para todo tipo de danca, mas sempre envolvido com a Cultura Hip Hop, porque fui um dos fundadores da “Crew Gang de Rua” que, na época do programa Barros de Alencar (TV Record), eliminamos os “Cobras” (famosos da época).
5 - Quais são as dificuldades de manter um trabalho de dança no Brasil?
A falta de apoio do poder público e das empresas privadas.
E às vezes quando a gente se depara com dançarinos sem nenhum compromisso profissional com a dança.
6 - O grupo Dança de Rua do Brasil já fez várias participações em filmes, programas de TV, entre outros. Alguma vez já pensou em fazer um filme totalmente focado na dança de rua do Brasil? Comente:
Em filmes, somente o “Requebra”, com “Xuxa Meneguel”, programas de TV, praticamente todos, inclusive “Jô Soares”, exceto “Caldeirão do Huck”.
7 - Dentro da cultura Hip Hop você trabalha ou já trabalhou com outros elementos?
A minha base sempre foi o hip hop, mas gosto de passear por todos os segmentos como Freestyle, Locking, Popping e outros. Dentro de um vocabulário pertinente a leitura musical, mesmo ciente que esse passeio às vezes não agrada a alguns pesquisadores da cultura, mas enfim, como coreógrafo tenho essa liberdade de expressão. E o resultado sempre foi positivo ao DRB.
Quando a proposta é levar uma atração ao público em um palco italiano sintetizado, coeso, dinâmico, contagiante, com o objetivo de elevar e divulgar a Dança de Rua em todo o Brasil.
8 - Na sua opinião, quais são as principais características que um dançarino deve ter para viver da dança?
Ordem, Respeito e Disciplina. Deve pesquisar, praticar, e traçar metas do que ele pretende. O mercado está crescendo e os que trabalham mais são os beneficiados e bem sucedidos.
9 - Na Coreografia “Homens de Preto”, a mais conhecida do Grupo, vimos, além de dançarinos, atores no palco. Pra você, o ator e o dançarino juntos completam a dançam ou são partes distintas?
Na minha opinião, o bailarino é o artista mais completo que existe, porque ele se utiliza e precisa da interpretação que o cantor possui, se utiliza e precisa da representação que o ator possui.
As linhas e formas que o pintor ou o escultor se utilizam o bailarino precisa ter.
E com o agravante que todos os outros segmentos podem trabalhar com qualquer idade, o bailarino ou dançarino, tem uma época para dançar no palco, depois disso, só se for apenas por diversão e não profissionalmente. Por essas e outras, a dança tem esse diferencial.
10 - Vocês realizam um trabalho de encenação e interpretação no palco, ou isso é instinto de cada dançarino?
Alguns já vêm com esse dom natural, mas outros trabalhamos nos ensaios.
11 - Hoje, além de coreógrafo, você também é Coordenador do Projeto Dança de Rua da Secretaria de Cultura de Santos. Como você faz para administrar e manter todos estes trabalhos?
Uma correria só. Mas quando fazemos o que amamos, sempre se dá um jeito e tudo acaba bem.

A Stilo Gangster agradece por ceder esta entrevista para o Portal e deixa este espaço para agradecimentos e/ou mensagem para os internautas.
“Em todo segmento de trabalho, a vida mostra que só os fortes sobrevivem, os bons prevalecem, porque quem tem talento se estabelece.
E se você tem esse dom foi porque Deus lhe deu. 
Saiba ser grato a Ele e às pessoas que te ajudaram.
E se você ama o que faz, trabalhe muito, porque o trabalho é a melhor resposta para tudo, inclusive para as críticas.
E depois que chegar no seu objetivo, continue trabalhando para manter e continuar crescendo, porque o trabalho dignifica, enobrece, e quando encontrar êxito, parabéns!
Mantenha a humildade sempre, porque a humildade é o segredo do sucesso!

Link da entrevista.

1 comentários:

Peter disse...

Hip Hop, porque fui um dos fundadores da “Crew Gang de Rua” que, na época do programa Barros de Alencar (TV Record), eliminamos os “Cobras” (famosos da época).

Faltou falar do grupo Yellow flash que tirou os cobras.

Postar um comentário